Vereadores retiram projeto de aumento de salário superior a 21%

Foto registrada por Pedro Romualdo, da Câmara Municipal de Bauru

Vereadores que compõem a Comissão de Economia, Finanças e Orçamento (CEFO)da Câmara Municipal de Bauru, retiraram na manhã desta sexta-feira (30), após repercussãonegativa perante a população, suas assinaturas que aprovariam a normal tramitação doProjeto de Lei (PL) que trataria do reajuste dos subsídios – salários – dosvereadores a partir de 2021, ou seja, que teria efeito para aqueles que fossemeleitos nas eleições de 2020.

Atualmente, os vencimentos de cada parlamentar são de R$7.845,00 e, deacordo com o Projeto de Lei, deveriam passar para R$ 9.504,77, em um aumento de21,15%.

A vereadora Chiara Ranieri foi a única integrante da Comissão a não assinar o documento. Além dela, fazem parte os vereadores Luiz Carlos Rodrigues Barbosa, o pastor Luiz, que preside; Benedito Roberto Meira, o coronel Meira; Ricardo Pelissaro Loquete, o Cabelo e Marcos Antonio de Souza, o Markinho Souza.

Até a tarde desta sexta-feira, o pastor Luiz era o único da comissão a não retirar a assinatura.

Justificando o injustificável

Em nota, a assessoria de imprensa da Câmara Municipal se pronunciou quando da aprovação. Leia na íntegra.

“Para fins de contribuição, seguem algumas considerações que constam na Exposição de Motivos do Projeto de Lei apresentado pela Comissão de Economia (Maioria dos membros).

-O valor do subsídio dos vereadires está congelado, sem qualquer reposição, desde 1º de março de 2015. De lá até o momento, a inflação foi de 50%, mais do que o dobro da variação proposta que, se aprovada, só valerá a partir de 1º de janeiro de 2021, na próxima legislatura.

-Os vereadores de Bauru não recebem qualquer outro benefício além do subsídio, como 13º salário, férias, plano de saúde, vale alimentação, verba de gabinete, auxílio combustível etc.

-O valor proposto (R$ 9.504,77) está abaixo da média verificada em 15 municípios averiguados (R$ 10.567,20).

-Neste ano, a Câmara Municipal devolverá à Prefeitura R$ 2,4 milhões, sendo que seu orçamento é R$ 6,5 milhões menor do que a média em outras cidades”.