Planejamento Familiar

Governo auxilia população que carece de planejamento na construção familiar

O planejamento familiar é importante no auxílio de homens e mulheres, no sentido de preparo para a chegada de um filho e na prevenção da gravidez indesejada. Essa é uma forma de assegurar aos cidadãos o acesso à informação, aos métodos de contracepção eficazes e seguros, da mesma forma que instrui a procura de serviços adequados na área da saúde, os quais possibilitam uma sexualidade saudável, bem como, uma gravidez e parto nas condições apropriadas.

Desta forma, a atenção dada a essa questão é fundamental para se aproveitar melhor um momento tão especial que é chegada de uma nova vida. É preciso estar bem preparado para assumir tamanha responsabilidade. O planejamento familiar, o pré-natal, o parto e o controle de doenças sexualmente transmissíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é direito de todo cidadão, segundo a lei N°9263 de 12 de janeiro de 1996.

Contudo, prever as futuras despesas que terão com os filhos também faz parte desse planejamento. Esses gastos vão desde o pré-natal até a educação escolar da criança. Sendo esta a razão de muitos casais demorarem para ter o primeiro filho, pois preferem a estabilidade de ter plenas condições de criá-lo, fazendo com que o número de filhos por casal também tenha diminuído nos últimos tempos.

Falta de Planejamento

A falta de planejamento pode gerar problemas sociais, pois pessoas sem condições de criar filhos, muitas vezes recorrem às instituições de adoção, ao aborto, ou simplesmente os abandonam nas ruas. Famílias pobres acabam ficando ainda mais pobres quando têm muitos filhos, não tendo o que comer e nem o que vestir, acarretando um problema de demanda social e econômica.

A taxa de natalidade nas classes menos favorecidas é consideravelmente maior e é causada pela falta de prevenção e informação. A educação também é um dos fatores. Uma mulher com curso superior tem em média dois filhos, enquanto outra sem estudos têm em média cinco. Pesquisas mostram que, quanto menor o tempo de estudo da mulher mais filhos ela tende a ter.

Gravidez na Adolescência

Os pais têm que entender que a adolescência é a passagem da infância para a vida adulta, e nesse momento os hormônios estão à flor da pele, as descobertas estão acontecendo e há a sensação de que tudo é definitivo. E é nessa fase que muitos adolescentes se veem na situação difícil de serem pais precocemente (é considerada precoce a gravidez que ocorre até aos 21 anos onde a pessoa ainda está em fase de desenvolvimento).

Os adolescentes ainda não estão preparados psicologicamente e fisicamente para tamanha responsabilidade. Acabam tomando um susto e não sabem a quem recorrer e muitas vezes acabam procurando métodos abortivos para se livrarem do problema.

Os jovens de hoje, apesar de toda a liberação sexual que há, são filhos de pais reprimidos sexualmente e que vieram de uma geração cheia de tabus. Por não abordarem esse tema de forma conveniente, os pais acabam sabendo da vida sexual dos seus filhos somente quando a gravidez já ocorreu. Por isso, é importante que você converse com seu filho e explique todas as situações.

Família e gravidez

Uma pesquisa aponta que o contexto familiar é muito importante na educação sexual dos filhos. A maioria das adolescentes que engravidam precocemente vem de famílias cujas mães também engravidaram muito cedo.

Não podemos atribuir a gravidez precoce apenas as moças, os rapazes apesar de não carregarem a criança no ventre, têm responsabilidades iguais, pois as mulheres não têm condições de conceber os filhos sozinhas.

A reação dos rapazes diante da gravidez da companheira é bastante variável. Há aqueles que negam completamente a paternidade, não querem assumir a criança e a mãe, não querem ter nenhum vínculo com elas e se recusam a assumir a responsabilidade. Outros gostam da situação como que se a gravidez da parceira provasse para todos a sua virilidade. Planejam a gravidez junto com a parceira para forçar os pais a aceitarem um namoro que não era aceito anteriormente.

Quando uma filha aparece grávida em casa, muitos pais têm como reação expulsa-la, ou forçar um casamento. Esse não é o momento para esse tipo de punição e o casamento não é garantia de que se tornarão responsáveis. Alguns casais resolvem morar juntos por conta própria, mas o mais comum é que o rapaz assuma a criança e a moça continue vivendo na casa dos parentes.

Porém, de qualquer forma, é importante que você converse sobre sexo e métodos contraceptivos com seu filho. Basta uma conversa franca e direta para mudar os pensamos e rumo da vida deles.

Ajude seu filho adolescente:

O ideal é falar sobre sexo com seu filho e explicar de maneira direta o que realmente precisa ser feito para evitar doenças e a gravidez. Explique também a importância de se planejar um filho e uma família.

Tomar decisões nem sempre é fácil, mas é exatamente aí que começa uma escolha de sucesso ou não. Perguntas e respostas faz parte deste planejamento. Pode fazer a seus filhos adolescentes e terá um bom resultado. Ou a si mesmo.

Psicólogos dão dicas de perguntas sobre planejamento familiar:

1 Eu quero ter uma família?

2 Como eu quero que minha família seja?

3 Tenho condições financeiras para assumir um relacionamento?

4 E se muito logo venha um filho, eu estou preparado psicologicamente e afetivamente para educa-lo, ama-lo e ajuda-lo a trilhar seu caminho?

5 O que eu penso sobre fidelidade?

6 Como eu espalho carinho e amor para as pessoas?

7 Quais são meus valores familiares?

8 O que eu sei sobre educação financeira?

9 Como eu funciono quanto aos conflitos e tribulações do dia a dia?

10 Eu sei me colocar no lugar do outro?

Só assim, a partir das respostas que medidas devem ser tomadas.

Fontehttp://planejamento-familiar.info/