Está aberta a temporada de desfiles infantis: desfile quem puder e quiser!

Evento realizado na Galleria Inspire (Foto:Tatiana Ferro/Divulgação)

Me lembro de quando meu sobrinho, que hoje tem 12 anos, começou a desfilar para algumas lojas na cidade que ele mora. Eu não era mãe ainda mas achava bem legal essa “brincadeira” da família, todos iam assistir e ficávamos babando nisso.

Achava bem legal a ideia das lojas divulgarem suas roupas com esse tipo de evento sendo que o “ingresso” era a roupa comprada na loja. Sempre me peguei pensando o quanto essa oportunidade fez diferença na vida dele. Ele saia super feliz da passarela, com a auto estima elevada, assim como de toda família, sem contar que depois do evento sempre tem um coquetel algo do tipo que também une mais.

Mas será que isso é certo?

Se a loja organizar uma festa sendo que o ingresso da festa só ganhará quem está com roupa da loja você vai achar isso errado?

Ou se uma loja organizar uma visita a um museu, teatro ou outro lugar e só os clientes que comprarem em uma determinada época que poderão fazer parte desse evento, seria exploração ou  acharia errado?

Nesses 2 casos se você tiver interesse no evento não pagaria para participar?

Veja quando essa “oportunidade” pode ser interessante.

  • Se você é mãe, sua filha(o) adora desfilar, já foi agenciada ( já pagou book, leva em testes e investe alto nisso) e ela nunca conseguiu um trabalho de passarela isso gera expectativas na mãe e na criança que acabam se frustrando por não realizarem esse desejo.
  • A criança tem vontade de desfilar e os pais não têm tempo, dinheiro e tudo mais que precisa  para seu filho se profissionalizar, aliás nem eles sabem se é isso que eles querem para vida. Acredito q isso é uma boa a opção e no final você ficou com a roupa da criança e investiu apenas no look que já compraria, e muitas vezes com desconto.
  • A gente sabe e está cansado de saber que existem perfis de crianças que tem mais oportunidade de desfilar e sabemos que nem sempre nossos filhos cabem nos estereótipos desejados pelas marcas mas a gente gostaria de vê-los desfilando ao menos 1x.
  • A criança gosta disso e acho que esse é o jeito mais fácil, rápido  e barato (mesmo comprando roupa é mais barato que o investindo em agências) de conseguir que os pequenos percorram por uma passarela com todo brilho que um modelo pode ter.
  • Se seu filho já é agenciado, trabalha com a imagem dele sinceramente não vejo vantagens e participar de um desfile que ele tem que investir para participar, afinal seu filho já é um profissional e merece ganhar por isso, lembre-se você investiu em cursos especializados, book, assessoria e etc.

Vale lembrar que esses desfiles são feitos pelas lojas e não pelas marcas. As marcas quando fazem desfiles só contratam modelos profissionais com DRT e criança que não seja famosa ou trabalhe na área pode participar, na maioria das vezes nem na plateia.

Sem contar que esses eventos fashions organizados pelas lojas é uma estratégia de marketing para alavancar as vendas e divulgar a marca, tornando ela cada vez mais conhecida, e participa quem quiser!

E aí conseguiu decidir o que fazer ? Então vale ainda mais essa última dica: faça o que te faz feliz, ou o que faça seu filho feliz, pagando ou ganhando não importa, divirtam-se, sejam felizes!!!!

E você o que acha disso?

Deixe seu comentário com a sua opinião!

Marta Gomis, é mãe da @Marcela.blog, Relações Públicas e Social Media.

Instagram: @MariaBabona

Blog: www.mariababona.com.br